sábado, 31 de janeiro de 2009

Antes de morrer

Em relação a sonhos, sou uma pessoa meio esquisita.
Já pensei em fazer loucuras antes de morrer. Alías, quero fazer loucuras antes de ir embora. Afinal, se não fizermos nenhuma aventura, ou coisas do gênero, de qual graça terá a vida? Todo mundo vai pro mesmo lugar no final, mas cada um caminha de um jeito diferente, e esse é o meu jeito, cheio de desejos.

Não sei quantos livros existem com aquele assunto: ''100 coisas para fazer antes de morrer'', ''Mil e um lugares para conhecer antes de morrer'', '' As melhores comidas para saborear antes de morrer'' e milhares de outros títulos assim, ''Antes de morrer''.
Nunca li nenhum livro desse tipo, porque sinceramente, acho que tem livro melhor para ler. Mas acho interessante. É, uma boa idéia talvez, só que não preciso de nenhum livro para tornar a minha vida melhor, mais agitada e blá blá blá. Sei bem o que eu posso e quero fazer.

Outro dia, uma professora disse que nós somos motivados por uma utopia. É esse seu desejo, essa vontade de realizar o que você quer que te faz querer viver. Tá, não vamos generalizar, mas é mais ou menos isso, se é que você me entende. E eu tenho várias utopias, muitas até. E hoje, fiquei com vontade de dividí-las (não todas, é claro) com vocês, HIHI :*

1. Dar a volta no mundo. Não necessariamente em 80 dias, ou seia lá quanto tempo for. Conhecer todos os países desse planeta, ou pelo menos os mais conhecidos e o que eu mais quero. Voltar para casa cheia de presentes para toda a família, e depois mostrar todas as fotos para todo mundo :)

2. Andar de balão. Ver o mundo de um outro ângulo, sentindo o vento no seu rosto. Balões são lindos, HAHA, eu acho, é.

3. Morar num apartamento de um andar. Ou até mesmo duplex, se for perto do parque Ibirapuera está ótimo :)

4.Ter um New Beetle amarelo. Para mim não existe carro mais lindo do que esse, e o amarelo, chama uma atenção, diferencia daqueles prateados comuns.

5. Conseguir realizar todos os meus sonhos, sem deixar nenhum para trás. Não falei nem metade deles, só que do que adianta querer fazer as coisas, se não consegue realizá-las?

E você, qual é a sua utopia?

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Selos :)

Gente, como fiquei um tempo sem postar, e ganhei alguns selos e tal, acumulou tudo e vou fazer um post só pra isso :)Antes de tudo, quero agradecer por todos que me indicaram, de verdade.

Selo 1 - Recebi da Tatá, da Cah, do Pablo, do Danillo, da Marcela e da Caroline :)

Regras:
Já teve curiosidade de ver sua caricatura?
1. Exiba a imagem do selo “Olha Que Blog Maneiro” Que você acabou de ganhar!
2. Poste o link do blog que te indicou.(muito importante!)
3. Indique 10 blogs de sua preferência.
4. Avise seus indicados.
5. Publique as regras.
6. Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.
7. Envie sua foto ou de um(a) amigo(a) para olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com os 10 links dos blogs indicados para verificação. Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá 1 caricatura em P&B.

Selo 2/3 - Recebi da Cah e da Bárbara :)

Regras:
1. Agarrar o livro mais próximo
2. Abrir na página 161
3. Procurar a quinta frase completa
4. Colocar a frase no blog
5. Não escolher a melhor frase, nem o melhor livro! Utilizar mesmo o livro que estiver mais próximo
6. Passar para cinco pessoas.

Livro: Melancia
Frase: "Se o bebê fosse menino, será que James teria tentado acertar as coisas comigo?"


Selo 4 - Recebi da Cah e do Unknown :)

Regras:
1.Linkar a pessoa que te indicou.
2. Escrever as regras do meme no seu blog.
3. Contar 6 coisas aleatórias sobre você.
4. Indique mais 6 pessoas e coloque o link no final do post.
5. Deixe a pessoas saber que você a indicou, deixando um post pra ela.
6. Deixe os indicados saberem quando você publicar seu post.

1 - Sou nerd, bem nerd. Estudo muito e sou meio complexada para essas coisas de estudos. Afinal, tudo isso vai se refletir no futuro (coisanerd)
2 - Adoro cheiro de livro, principalmente os novos. Quando eu não estou com o mpinimo de vontade de assistir a aula, fico cheirando, HAHA.
3 - Minha memória é fraquissima. Se eu estudei com você na 1ª série e a gente fez um trabalho juntos e tiramos a nota máxima, fica tranquilo, eu esqueci.
4 - Confio muito nas pessoas e conto tudo. Sinceramente, tenho que parar com isso.
5 - Amo ler. Nas minhas férias li quatro livros, sou daquelas que começa ler e não consegue parar, sabe?
6 - Me sinto nua sem o meu relógio. Ele é meu companheiro digamos assim, não consigo sair sem ele, me sinto perdida.


Selo 5/6/7/8 - Ganhei todos esse do Danillo, e como não tinha regra nenhuma só vou colocá-los aqui :)


Para ficar mais fácil, vou simplificar. Vou indicar todos os selos para 10 blogs, pode pegar tudo, pode pegar um, pode escolher :)

Mascar
Coisas que eu sei...ou não!
Coluna do Thiago
Chapéu Torto
Égua!!!q coisa!
Eu decidi escrever
Art's blog
Smile Like You Meant It
Estranho Mundo de Thamara
Versos Perdidos

Nossa, acabou! E é isso, agradeço a todo mundo, e os comentários da postagem anterior respondo quando puderm, ok? :D

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Aulas, AE!

Primeiro dia de aula é sempre uma festa. Rever os amigos que não vê há 42 dias (é, eu só tenho isso de férias), ou até mesmo aquele que você viu no fim de semana passado, mas mesmo assim está morrendo de saudades. Sem contar na ansiedade de descobrir quem caiu na sala de quem, se você está junto com o seu amigo, se só tem gente nerd, e muitas outras dúvidas clássicas de início de aulas.

Você passou o portão, e revê aquele lugar que a algum tempo atrás você queria que alguma bomba o destruísse para nunca mais existir, o que nem deveria ter acontecido.
Seu mundo para. As coisas passam mais devagar e você observa cada árvore, cada prédio, cada quadra, cada placa. E quando você vê uma mudança, já grita: 'Olha! Não tinha aquela entrada ali! Para que será que serve?'
O carro para, você desce e saí correndo em direção ao seu novo corredor. Só dá para ver gente se abraçando, dizendo: 'MEEU, QUE SAUDADES' ou coisas do tipo: 'NOSSA, VOCÊ CORTOU O CABELO'.
Num pulo você já esta o sai procurando a sua sala, encontrou nome. AE! Você caiu com aquele amigo, e aquele também. Nossa, esse vai ser o melhor ano! Você vira para trás e vê todos os seu amigos, dá um berro, saí correndo e dá o maior abraço que você já deu na sua vida.

O sinal toca. Todos para as salas. Hora de conhecer o nossos amados professores.
E o dia começa. Depois de muitas aulas, depois do recreio, depois de mais aulas, o dia acaba.
E aí vem todos aqueles comentários, sobre a roupa da professora de Português, sobre o jeito do professor de ciências e inúmeros comentários.

Mas essa alegria, sinto-lhe dizer, dura pouco. Na primeira semana, no máximo.
Porque depois, você vai querer estar longe daquele lugar. Só que no fundo você sabe que sem aquele lugar não seria nada :)

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Parceira

Tenho uma amiga que ela é o oposto de mim. Bem diferente, em vários aspectos.
Eu sou loira, ela morena.
Eu sou um grude, ela nada disso.
Eu sou bobona, ela nem tanto.
E por aí vai dentre todas as outras diferenças.

Talvez seja por isso que ela me completa. Que ela sempre me escuta, me ajuda, me apoia, me ama.
Talvez seja por isso que ela é a minha melhor amiga.

Nunca duvidei muito de que uma melhor amiga verdadeira, fosse a sua 'cara metade feminina' (e masculina para os homens, mas isso soa um pouco estranho). Ela já deve estar cansada de saber que eu a amo, que eu isso e que eu aquilo. Mas é que ela é definitivamente, muito importante para mim.
Amiga, para mim, é uma coisa difícil de achar. Porque amiga mesmo, é aquela que sabe seus maiores segredos, que está sempre ali com você. E não aquela que você passa da 'Oi' e fala onde você passou no fim de semana. É bem diferente.

Não me imaginaria sem ela. Assim como muitas outras amigas não se imaginariam sem a sua melhor parceira.
E é isso, a minha parceira estará sempre no meu coração. Estará sempre ao meu lado. Minha parceira nunca vai se separar de mim :)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Felicidade, mera sorte?

Para mim, até um certo tempo, felicidade era um pouco de sorte.
Você andava, andava, andava e de repente, você tropeça em algo e vê um pote. Um pote, onde tinha a coisa mais preciosa, a felicidade.

Acho que nunca tive sorte o bastante para encontrar esses potinhos, e me deliciar em meio tanta alegria.

Só que, ao invés de ficar preocupada, por nunca achá-lo, desencanei. Desencanei, e acabei encontrando um caminho mais fácil. Era o caminho em que eu estava. Era como se o caminho estivesse dentro do pote, entende? Ou talvez, o pote já estivesse lá, aberto, espalhando toda a alegria. Bastava encontrar onde ela tinha se escondido. Mas não era preciso.
Eu já vivia no meio de muita felicidade imensa; estava lá com a minha família, com os meus amigos. Tinha tudo.

Quem sabe o pote sempre esteve no meu coração e eu nunca tinha percebido?

domingo, 18 de janeiro de 2009

O pecado mais gostoso

Não há nada melhor do que se deliciar com enormes bolos de chocolate, sorvetes de morango, quilos de brigadeiro, litros de refrigerante, balas de todos os sabores e qualquer outro tipo de doce existente.

Sentar no sofá, em plena tarde de terça-feira, alugar um filme e comer todo aquele balde de pipoca sozinha é o meu programa típico de uma pecadora gulosa. Aliás, comer ''um pouquinho'' de tudo, não vai mudar o meu caminho na minha hora de ir embora, ou vai?
O que seríamos sem aquelas deliciosas comidinhas, que nos odeiam e nos aumentam quilos e quilos. Mas isso, no momento, não é a questão; e sim os doces, os refrigerantes e tudo que a mais de delicioso nesse planeta.

Sem dúvidas o meu pecado favorito, é o melhor. O meu pecado é o mais saboroso, é o mais gorduroso, é menos saudável. O meu pecado predileto é a gula, com certeza.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Analfabetos Online

Símbolos, letras e números espelhados pela tela do computador. Eles podem fazer um site, um template ou qualquer outra coisa. Todas as informações estão ali, basta você decifrar os seus códigos. E isso é o que mata. Para uns isso é tão fácil quanto respirar (exagero, eu sei), mas para outros, nem pensar nisso é fácil. Claro, o HTML, de quem mais poderia estar falando ?
Eita coisinha complicada, nunca vi.

Mas tudo bem, enquanto uns (gênios) ficam aí, ''brincando'' com esses códigos, eu fico fazendo mil e um desenhos no paint (muito produtivo, eu sei). Aliás, existem outras coisas para fazer na Internet, não? Coisas fáceis até.

Até que é bom você não enteder muito dessas coisas, não sei como, mas é divertido. Cada coisa que você descobre é, digamos assim, mágico! HAHA, você sente orgulho que conseguiu encontrar aquilo sem a ajudar de ninguém.

E esses gênios estão espelhados por todos os lugares, é só pedir ajudar para um deles e pronto, tudo fica melhor :)

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

A minha história com o meu melhor amigo

Era a noite quando minha mãe ligou para o meu pai para nós nos encontrarmos em tal shopping. Devia ter meus oito anos. Entrei no carro e fiquei fazendo mil perguntas a mim mesma.
Sabia qual era o motivo do encontro. Sabia que estaria prestes a ganhar um cachorro de estimação *-*
Queria saber como ele era, quantos meses tinha, qual era a sua raça e todas as outras perguntar que poderíamos imaginar.

Chegamos lá, e minha mãe estava enfrente ao pet shop. Havia dois cachorrinhos iguais. Branquinhos, branquinhos. Pareciam duas bolas de algodão. Um era todo agitado, alegre; o outro, era mais tranquilo, parecia estar com sono.
Fiquei brincando com os dois, mas só podia escolher um. Foi um aperto enorme. Depois de muita demora, decidi escolher o agitado, já que também era uma pilha, precisava de mais algum amigo para descarregar as minha energias. Seu nome era Fred :)


E foi um sonho! Cuidava dele como um filho, passeava com ele, brincava, dava comida. Só que com o tempo essa atenção foi diminuindo, eu não cuidava tanto dele, e nem ele ligava para mim.

Estava estudando tanto, saia tanto que não tinha tempo para dar voltas no quarteirão para o pobre cachorro fazer o que precisava.
Pensava assim, dessa forma cruel. E nunca me tocava a dona que estava sendo. A péssima dona.

Demorou para a ficha cair. Não assisti Marley & Eu - mas bem que gostaria - porém assisti o final de um outro filme Meu cachorro Skip.
Eu tinha uma prova de que era a pior dona/amiga do mundo. Chorava, chorava. Nunca tinha percebido o quão ele, o Fred, tinha sido leal a mim, e eu nunca o recompensei. Uma traição e tanto. Chorei tudo o que tinha para chorar. Não sei como fui capaz de ter o tratado assim, sem amor.

Só que ainda tem tempo para eu fazer o que eu não fiz. Aliás, ele tem seis anos, e creio que ainda exista um tempo para eu amar o que eu não amei.
Vou aproveitá-lo ao máximo, passear, brincar, alimentar, e até mesmo conversar. E nos voltaremos a ser melhores amigos de verdade.
Porque eu sei, que quando ele se for, uma parte de mim vai junto com ele.


Só esclarecendo, eu não batia nele nem nada. PELAMOR! Eu apenas não dava carinho e nem passeava; quem bate em cachorro é covarde.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Amar demais

Sou capaz de dar a minha vida para alguém querido.
Sou capaz de matar e morrer por alguém que amo muito.
Sou capaz de muita coisa só para proteger quem eu amo.

Esse amor não precisa ser necessariamente seu parceiro, vamos dizer assim. Uma amiga, um amigo, algum parente; não importa. Se eu gosto mesmo, eu faço tudo.
E esse é o meu principal defeito. Garanto que muitas outras pessoas sofrem desse mal.
Por que será que proteger e amar tanto alguém pode ser maligno? Eu também não encontrava essa resposta, e continuava desse jeito amoroso com muita gente. Só que eu não percebia, que eu estava ficando mal por amar muito. Amar quem não retribui a minha atenção; o meu carinho; o meu afeto; o meu amor.

Já me decepcionei muito, mas não conseguia parar. Tem alguma coisa dentro de mim, assim, acolhedora.

Muitas vezes amar de mias faz mal. Aliás, coisas de mais faz mal; até mesmo o tão belo amor.
Agora já aprendi, não vou deixar de ser assim, porque também já loucura de minha parte; mas vou apenas 'diminuir' essa dose de amor, garanto que vai ser tão bom para mim, quanto para o outro.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Sem era uma vez

Podia começar essa história com um ' Era uma vez, mas isso me lembra histórias felizes, com princesas, bichinhos falantes, príncipes e beijos mágicos. E essa história, não é bem assim.

Tom era uma homem de muitas posses, era dono uma casa imensa, porém escura. Nunca abria uma janela se quer, nem ao menos para ver o brilho do sol. Só gostava dos dias escuros, assim como a sua alma.
Era fácil de saber que Tom não tinha amigos. Era um homem incompleto, infeliz.

Muitos diziam ser assim devido a um antigo amor não correspondido. Outros por causa de sua criação. Mas a última era uma bobagem, Tom era uma criança feliz, e tinha tudo para ser tornar uma homem feliz. Mas foram os caminhos da vida que o transformou assim.

Numa tarde de garoa, com as nuvens escondendo o pôr-do-sol, Tom decidiu sair com seu velho sapato preto, sua calça jeans escura e seu casaco negro. Aparentava ser uma tarde normal, sem surpresas, onde ele iria almoçar seu strogonoff e voltar sob a proteção de seu guarda-chuva. Mas não foi bem assim.
Os primeiros raios de sol conseguiram fugir da nuvens, fazendo com que o seu rosto, escondido pelo chapéu, fosse iluminado. Não gostando disso, começou a acelerar o passo. Até que alguém começou a puxar assunto. Tom não estava prestando atenção, afinal não queria relações alguma com quem fosse.
A voz parecia de uma criança contente que não parava de falar sobre o tempo. Tom olhou para o lado e viu que era um menino que aparentava ter seus 10 anos, fungou e deu as costas.

Viu o menino por muitos dias, e este falava sobre os mais variados assuntos.

Um dias desses Tom ficou irritado e perguntou ao estranho menino:
- Por que me fala de todas essas coisas sendo que eu nem o conheço?
O menino deu um risinho e falou:
- Tudo bem, apenas seja meu amigo :)

Passando semanas desses encontros Tom aos poucos foi cedendo e descobrindo o prazer de uma amizade. Foram descobrindo um da vida do outro a ponto de se tornarem bem íntimos.

Cris, o menino, era órfão, mas mesmo assim nunca deixou de ser feliz. Tom foi ganhando essa alegria e se tornando um novo homem.
As janelas de sua casa já podiam mostrar o sol; suas roupas tinham mais cor; o sorriso era constante e o amor, dominante.

Era uma relação de pai e filho. Criaram um vínculo muito forte; até que decidiram que Cris moraria com Tom.

Anos se passarm e Cris foi crescendo, sempre contente e amoroso com seu pai.

Até que um dia a vida decidiu ser dura e trouxe-lhes uma tragédia. Cris havia sido vítima de uma bala perdida ao sair de um mercado.
Tom não acreditou e chamou os melhores médicos da cidade para salvar seu querido filho. Tempos se passaram e Cris não apresentava melhoras.

Tom já tinha perdido o sentido da vida, até que foi dar um abraço em seu filho.
Ele estava acordado, porém não podia fazer muitos esforços. Tom não media as palvras de amor e principalmente o choro. Tentando acalmá-lo Cris deu-lhe um beijo e disse:
- Pai, não importa para onde eu vá, eu sempre estarei com você. Não apague esse homem bom que você descobriu dentro de si. Obrigado por me amar e não tenha dúvidas que eu te amo tanto quando você.

E seu coração deu a última batida, e Tom levou a lição que o pequeno menino lhe ensinou eternamente.

HEHE, Desculpem-me pelo texto grande, mas leia, por favor *-*

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Meu mundo mágico

Se pudesse criaria um mundo totalmente novo. E bem diferente.

Seria uma espécie de Disney, Paris e Brasil. E mais algum país não descoberto ainda.
Todos viveriam bem, além do mais não teria muitas preocupações a respeito de economia. As coisas não seriam de graça, mas também não seria caras.
Talvez, mas no futuro, existiria uma política econômica melhor que o capitalismo e o socialismo. Não gosto de matemática, isso eu vejo mais tarde. Mas isso não é tão importante quanto a arquitetura, no momento é claro.
Uma arquitetura moderna, e ao mesmo tempo aconchegante, que lembre as casas das avós.
Aliás, as pessoas viveriam por muito mais tempo, com a ótima qualidade de vida que teríamos, já que nós amamos e repeitamos mais. É bem capaz que as tataravós ainda façam presença nas famílias.

Parques? Existiriam muitos! Com aquele clima tropical, aquele sol lindo, aquela brisa, e o cheiro das ávores com o som do pássaros, todo dia as pessoas iriam para lá. Até mesmo os empresários, e pessoas do tipo; já que agora, não trabalham tanto e tem mais tempo para a família.
As ruas seriam limpas, as pessoas civilizadas, o ar seria limpo e o meu novo mudo seria muito bom :)

HAHA, não reparem mas estou numa fase bem, digamos, 'ecológica' .

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

O grande bueiro

Ruas sujas, rios poluídos, tempo ruim, carros em excesso, e principalmente, pessoas sem consciência. É assim que o mundo está. As vezes, até pior.

Fico pensando como nós somos capazes de causar tudo isso. Afinal, quem provocou toda essa situação não foi ninguém mais, ninguém menos que os humanos.
Um mundo onde tinha tudo para ser perfeito, com tanta riqueza em natureza, com tanta beleza, pode parar assim, quase igual a um bueiro.
Um bueiro grande, quase sem fim, onde ninguém pensa em ajudar a limpá-lo.

Apesar da maioria não ter muito essa noção de ''perigo'', existem poucas- e precisosas- pessoas que se importam com mundo. Que reciclam, avisam aos amigos e vizinhos para não gastar tanta energia, que economizam água, que cuidam do nosso planeta. São esses exemplos que devemos seguir.

Pode até parecer desnecessário esse post e muitas outra matérias em revista e jornais que vemos espalhados por aí, mas se cada um tiver atitude, e resolver mudar, nem que seja nas pequenas ações, o mundo pode melhorar, e muito :)

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Desespero

Um dia acordei, e senti um vazio dentro de mim. Não sabia exatamente o que era, só me sentia infeliz, incompleta e totalmente sem sentido.

Via as pessoas, e não imaginava o que cada uma poderia ser.
Lia as histórias e não entendia.
Falava, mas ninguém ouvia.

Entrei em desespero. Estava sozinha, sem saber o que fazer. Tentei escrever e as palavras, não saiam.
Estava aí o problema, estava vazia, e totalmente sem inspiração. Minha imaginação sumiu, fugiu, desapareceu. Estava perdida, não sabia o que fazer. Como viveria sem a coisa mais preciosa da minha vida?
Li aos montes e nada funcionou.
Cantei, cantei, cantei. Mesmo assim, só piorou.
Até que desisti. Cansei, e resolvi esquecer.

Foi só eu me tocar, e descobrir que a resposta estava dentro de mim. Bastava eu acreditar em mim mesma, e funcionou.



Feliz ano novo para todos, obrigada por cada comentário e ajuda.
Tudo de bom para vocês :*