quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Chuva nenhuma estraga

Para um dia de comemoração de três anos de namoro, o tempo não estava muito bom.
Rachel imaginava um dia de sol e quente, ao voltar para a sua cidade, afinal era verão. Luke queria viajar para praia, sair com a sua amada só para estar ao seu lado.

Ambos estavam morrendo de saudades, não se viam a mais ou menos quatro meses. Para eles era muito tempo. Todo dia de noite um ligava para o outro desejando um bom sono, e pedindo para que sonhasse com o outro. Quem via, devia imaginar que esse amor, seria eterno, sem dúvidas.

Rachel, já estava com as passagens na mão, e não via a hora de chegar em casa. A cada minuto dava um olhada no relógio, o tempo nunca passou tão devagar como passou aquele dia. Horas se passaram e voos eram cancelados. Cinco horas, seis horas. O voo estava atrasado havia muito tempo. Até que o que ela menos queria que acontecesse aconteceu. O avião não chegaria.

Droga de tempo.

A única coisa que podia fazer era ligar para Luke, dando a notícia. Nem preciso falar o quão ele ficou arrasado, mas estava decidido que nada o aborreceria.

Sozinho em casa, assistindo as tragédias causada pela tempestade Luke teve um idéia, não aguentava ficar mais um minuto sem ela.

Já não ligava se o tempo estava bom ou ruim.
Estava preocupado mesmo, era em ver sua namorada.
Foi no seu armário, pegou as chaves do carro e uma caixinha, e saiu correndo de casa.
O trânsito estava um inferno, mas nada melhor do que o caminhos alternativos. Onze horas de viagem. Era o que estava disposto a passar.

Ia escurecendo, a noite chegava e a chuva só aumentava.
Luke estava cada vez mais cansado, mas só em pensar em Rachel, já acordava.

Casa 122, estava lá a pessoa que mais queria ver.
A campainha tocou. Rachel ficou assustada, ninguém tocaria a campainha aquela hora, principalmente naquela cidadezinha.
Abriu a porta, um Boa noite saiu rouco, e ao coçar os olhos, e olhar para frente viu um cara agachado no chão. ''Quem é esse louco pelo amor de Deus? Ah eu não acredito, não pode ser ele''

- Luke?, foram as únicas palavras que conseguiu falar
- Rachel, você é parte de mim. Não preparei nenhum discursos para agora, esses termos podem ser todos muito clichês, mas isso é verdade. Viver sem você, é só estar vivo. Fica comigo para sempre. Quer comemorar as suas tão desejadas bodas de ouro comigo?

10 comentários:

Aline disse...

Ainda bem que teve um final feliz. Já estava vendo que ele ia sofrer um acidente na estrada!=\

Sabrina Paiva !!! disse...

Eu também pensei que ele fosse sofrer um trágico acidente!Ufa...ainda bem que não.Achei muito fofa essa história.Bem romântica!
Bjo
^^Xauzinho^^

melk jus disse...

rsrsrs...final feliz, que bunitinhu!....é o amor pode trânspor barreiras, e as espaciais sao até mais fáceis...

tem novo post no blog.

melk

http://www.hellboynews.blogspot.com/

Tatá...;) disse...

E por que ele num dise logo : " quer casar comigo ?" :P
mais normal...=P
adorei o texto!

http://taynalu.blogspot.com/

Bertonie disse...

Voo sem acento DDDDDDDDDD:

Eu achei muito bonita a história. Tava contando com uma tragédia já. Uma tempestade, onze horas de viagem, ele louco desesperada, acidente. Mas não foi, que cool :}}}}}}}}}}}}
Que bom que ele pediu ela em casamento, rsrsrsrsssssssss.

Passa lá no Mascar, please

beigos mil

Marcela disse...

Também achei que ele iA sofrer um acidente!
o.O
Mas noo fiim ficou linda a historia!
beijos!

Caá disse...

adorei. tbmm quero um pedido assim UDSHIUDSHDISHIUDSH

beijoo, boa quintaa!

Danillo Araújo. disse...

Luke... um rapaz RomanticO!

Gostei a história.

Bjs.

R.Vinicius disse...

Thaís gostei do nome da personagem. Acho muito bonito o nome Raquel. Gostei do final da história e a curiosidade que você deixou transbordar nas linhas, principalmente na chegada dele na casa dela e no caminho da viagem.

Abraço,

R.Vinicius

Marcos Satoru Kawanami disse...

Suspense, pensei que o Luke iria abotoar o paletó de madeira.
Do jeito que ele tá amarradão, vai chegar até bodas de platina.