segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Caminho para lugar nenhum

Pelas ruas cobertas de folhas secas ele andava sob a sua bicicleta sem motivo algum.
Pedalava sem pensar na próxima curva, sem imaginar qual seria o outro caminho a tomar.

Ele pouco raciocinava.

Tinha apenas um simples desejo. Ser levado e carregado pelo vento, para onde fosse.
A rua vazia o encorajava e sem motivo ele ria com o canto sincronizado dos pássaros, gritava com o coração cheio de liberdade e abria os braços para receber toda aquela bênção.

Uma brisa gelada sussurrava em seus ouvidos, as nuvens, estranhamente, o aqueciam e a bicicleta o levava para lugar nenhum.

Era isso que ele desejava.
Um caminho sem escolhas, sem destino final.

10 comentários:

Laryssa disse...

"Era isso que ele desejava.

Um caminho sem escolhas, sem destino final."
Um lugar onde você possa andar sem medo das consequências; sem medo do futuro.
Todo mundo precisa de um momento assim um dia. Difícil é ter esse momento. Difícil...

Núbia :) disse...

Parece que você lê certos momentos, certos pensamentos que eu tenho :O

Guilherme Fraga disse...

Acho que é desejo de todos um lugar ou momentos sem limites, sem censuras.

Você narra muito bem.

Beijão

Debbys disse...

ah, que delícia.... juro que até me senti no lugar dele.. ^^
obrigada pelas palavras de apoio! xD
bjss

Gabriela Petrucci disse...

Como diz a minha amiga, é aquela pausa que nós damos no mundo exterior, e passamos a viver a nossa maneira.
Seria ótimo se essa pausa realmente existesse!

Beijos

Renan Mendes disse...

OMG!
Essa história já aconteceu comigo /pasma
Lindo. *-*

Roberta Smith disse...

Meu Deus, eu sou fã das coisas que você escreve *-*
Queria escrever um terço do que você escreve, seriozão.

Eu consigo me sentir naquele lugar, nequele momento, daquela mesma forma. Já me senti assim.

Por isso acho demais a forma como você escreve <3

Jeniffer Yara disse...

Também desejo um caminho sem escolhas,pena que elas já fazem parte do meu caminho,então não têm como negar.
Muito fofo seu post *-*

Beijo

Rafael disse...

Então ele pedalou e pedalou, até que ficou muito cansado e caiu no chão, ploft.
:P
bjs

Mayara Cunha disse...

senti a brisa gelada no ouvido daqui! ahahah

parabéns, mais uma vez.
beijo!