sábado, 22 de janeiro de 2011

Palavras de Anne Frank

Eu acabo de ler um dos livros que mais me emocionaram até agora. Não pela sua trama, pelo enredo dramático. Simplesmente por ser real. Ler as palavras tão sinceras de uma menina que mal descobrira o que realmente é viver me tocaram de uma maneira indescritível.
.
Isso pode soar até um pouco bobo, mas eu me senti como sua melhor amiga. Suas decepções, suas angústias, suas alegrias, dúvidas... Eu as sentia e compartilhava com ela, de alguma forma. Anne Frank me surpreendia a cada carta em seu diário.
.
Lendo O Diário de Anne Frank, muitas vezes eu me via dentro daquelas páginas. Uma menina que, diferente de todas, aos poucos foi construindo seu caráter sem medo de aprovações (ou falta delas). Ela queria, primeiro de tudo, enxergar a si mesma, descobrir o que estava dentro de si e construir alguém melhor. Não só pra ela, mas para as pessoas que estavam a sua volta também. É claro que este processo não fora tão fácil assim. A insegurança e até mesmo o medo acabam sendo tão grandes que dá vontade de desistir. Mas Anne é uma menina forte e segura do que deseja.
.
Fiquei impressionada com o seu desejo de desvendar o mundo, aprender coisas novas e não permanecer parada só por estar em um esconderijo. Para uma garota de 15 anos, sinceramente, era bastante culta. Tinha argumentos que fugiam do superficial e chulo, tinha consistência em suas opiniões.
Ela tinha coragem de rever seus erros e admiti-los. Anne tinha um grande anseio de crescer – por dentro, não queria ser mais uma adolescente que pensava igual a todas as outras, seu conceito estava mais além do “ser diferente”
.
Até agora estou achando engraçada a forma como esse livro mexeu comigo. Talvez seja algo passageiro, mas eu prefiro que não. Saber sua vida, de um jeito... estranho eu diria, me trouxe um desejo imenso de ser realmente quem eu sou, ter confiança não só no que falo ou faço, mas acima de tudo em mim mesma. Afinal, Anne com só 15 anos aprendeu uma das coisas mais puras da vida e isso me alegrou imensamente.

11 comentários:

tha disse...

Li esse livro quando tinha sete anos, e o reli várias vezes depois disso, e até hoje ele ainda mexe comigo toda vez que o leio! Por isso duvido muito que seja algo passageiro, uma historia como a da Anne fica gravada em nós.
Beijoos:)

Bárbara Fróis disse...

Ja ouvi falar que esse livro é realmente incrivel! Agora me deu até vontade de ler. Hehe
Bejos

Renan Mendes disse...

Ai, gente, mais um livro pra minha lista dos que eu preciso ler. Fiquei MUITO curioso.

:*

Jéssica Trabuco disse...

Sua forma de falar me fez ter muita vontade de ler esse livro tbm.

Letícia Vieira disse...

Quero ler! *-*

Tamires Buliki. disse...

Trm gente que com apenas 15 anos (cof cof) vai muito além do que simples adolescentes alienados! (=
Beijo, querida.

Brunna disse...

Confesso que depois de ler sua opinião sobre o livro neste post estou querendo correr na livraria agora e comprá-lo. Realmente, me parece muito bom! :)

Anônimo disse...

E como seu jeito de escrever arrepia! :x E toda a história da Anne também... Não conheço tão a dentro, mas parabéns às duas por quem são. \o/

Tay disse...

Eu sou louca pra ler o livro, mas ainda não tive oportunidade. Fiquei ainda mais curiosa com o seu post.

lovechips disse...

algumas vezes isso acontece.
de histórias tocarem a gente desse modo.
e anne frank te tocou. conheço isso e posso dizer, é uma ssensação ótima. fiquei feliz por ti, sério, pq isso me lembrou o quão bom é se sentir assim

Juliana M. disse...

Um dos melhores livros que li...